Casa no Guarujá tira partido da Mata Atlântica


Localizada no Guarujá, litoral paulista, esta casa está encrustada em um terreno de topografia acidentada e em meio à Mata Atlântica. A introdução da morada neste ambiente teve por objetivo otimizar a conexão entre natureza e arquitetura, privilegiando a vista que alcança o oceano e a incidência de luz solar nos espaços internos. Com projeto do StudioMK27, de Marcio Kogan, o posicionamento da construção foi cuidadosamente estudado para ocupar uma clareira pré-existente na vegetação.

O volume principal da casa está elevado do solo e parece erguer-se diretamente da topografia. A casa, ela mesma, projeta-se a partir das montanhas. A conexão entre o entorno e os elementos construtivos – como, por exemplo, nos deques de madeira – foi idealizada para respeitar o meio ambiente e criar uma integração orgânica entre a natureza e a arquitetura. A parte da construção que provêm das montanhas toca o solo através de dois pilares apenas.

Os três pavimentos da “Jungle House” trazem uma eficiente divisão programática do projeto: o piso térreo oferece um grande deque de madeira, conectado a um pequeno ambiente destinado às crianças; no primeiro andar há seis quartos – cinco deles com varandas – e ainda um home theater. O terceiro e último pavimento é destinado à área social da morada – incluindo piscina, living e cozinha.

O projeto de interiores tem por objetivo recriar uma atmosfera moderna, oferecendo a sensação de aconchego necessária para se permanecer, com conforto, em um ambiente notadamente rústico e tropical – há, inclusive, uma instalação de luz do lighting artist Olafur Eliasson. No tocante à arquitetura, houve uma extensa utilização do concreto e da madeira, tanto no exterior quanto nos interiores. O brutalismo é, sem dúvida, uma inspiração evidente.

Fonte: Arkpad

Postagens Populares
Postagens Recentes