As tendências da arquitetura para a próxima década


Quando você pensa sobre o futuro, como vê o ambiente construído? De acordo com este artigo, originalmente publicado no Huffington Post como The Architecture of the Future is Far More Spectacular than You Could Imagine, o futuro está mais próximo do que poderíamos pensar - projetos atuais já estão respondendo às necessidades imaginárias e desejos da próxima geração. De uma torre com pavimentos rotacionados a um parque capaz de filtrar o esgoto.

"Todo grande arquiteto é - necessariamente - um grande poeta. Ele deve ser um grande intérprete original do seu tempo e da sua idade."

Essas são as palavras de um grande arquiteto, Frank Lloyd Wright, cujas visões de desenho harmonioso e planejamento urbano inovador resultaram em sua própria marca de arquitetura orgânica. Diríamos que Wright não foi apenas um intérprete de seu tempo - ele foi capaz de prever as necessidades e desejos dos séculos à frente dele. O arquiteto é - necessariamente - um visionário capaz de prever o futuro.

TENDÊNCIA 1: Pontes hipnóticas

Por que desenhar pontes suspensas comuns ou viadutos em arco quando a humanidade é capaz de construir enormes proezas arquitetônicas como esta para atravessar um rio? O impressionante desenho ondulante, destinado a funcionar como uma passarela de pedestres sobre o Rio Dragon King Harbour, na China, é resultado do trabalho de NEXT Architects. O projeto da ponte envolve três pistas individuais, torcidas, pairando sobre a paisagem pitoresca de Changsha.

TENDÊNCIA 2: Arranha-céus giratórios

Esta imagem de um arranha-céu de 80 andares, imaginado por David Fisher, do Dynamic Architecture, em 2008, é uma imagem rebuscada para o futuro de Dubai. Por quê? Porque ele gira.

O enorme edifício imponente teria pavimentos que rotacionam, ainda que levemente, completando um giro de 360 ​​graus a cada 90 minutos. Esqueça a luta por um apartamento virado para o leste, as suítes deste projeto do Dynamic Architecture teriam todas as quatro orientações a seu dispor.

Embora não se saiba se o projeto será realmente construído (estava programado para ser iniciado em 2010), o projeto é certamente um banquete visual.

TENDÊNCIA 3: Parques fechados

Em novembro de 2013, o Instituto Strelka anunciou o vencedor do concurso internacional para projetar o Zaryadye Park, primeiro novo parque público de Moscou, em mais de 50 anos. O vencedor foi Diller Scofidio + Renfro (em colaboração com Hargreaves Associates e Citymakers), que propôs este projeto particularmente impressionante baseado em uma teoria de "Urbanismo Selvagem", ou o conceito de uma "paisagem híbrida, onde o natural e o construído coabitam para criar um novo espaço público."

O parque contará com quatro tipologias de paisagem - tundra, estepes, florestas e zonas úmidas, integrando micro-climas que permitirão que o parque funcione como um espaço público ao longo dos invernos extremos da Rússia. Essencialmente, os ambientes quase internos proporcionarão temperaturas reguladas, vento controlado e luz do dia simulada que incentivam o uso todos os dias da semana, um parque de lazer durante todo o ano. Como Diller Scofidio + Renfro adequadamente colocou, "Zaryadye Parque vai encarnar o passado e o futuro ao mesmo tempo."

TENDÊNCIA 4: Fortes à prova de desastres naturais

Para sua série "Dauphin Island," o artista Dionisio Gonzalez projetou fortes futuristas feitos de ferro e concreto, fundindo o papel de artista com o de arquiteto, engenheiro e urbanista. Os edifícios peculiares - híbridos de casa de praia, bunker e nave espacial - foi concebido para os moradores de Dauphin Island.

Localizada na costa do Alabama, no Golfo do México, a região é conhecida por enfrentar furacões perpétuos e catastróficos. Quando uma tempestade atinge a pequena ilha de cerca de 1.200 habitantes, que muitas vezes assola grande parte da costa, os moradores têm que reconstruir suas casas.

TENDÊNCIA 5: O poder das plantas

O que há para fazer com uma desatualizada e monstruosa usina de energia no futuro? Por que não dar às instalações uma reforma verde, que teria duas funções: embelezar a estrutura e proporcionar uma nova forma de lidar com as emissões de CO2.

Funcionaria desta maneira: o escritório de arquitetura AZPA (Alejandro Zaera-Polo Arquitectura) planeja transformar a usina Wedel Vattenfall na Alemanha em um novo complexo industrial, que seria construído a partir das instalações anteriores e envolvido com uma pele ondulada de plantas trepadeiras. Esta pele estrategicamente colocada não só suavizaria a estética exterior da usina, mas iria criar uma bainha de trepadeiras para absorver as emissões de CO2. AZPA descreve o esforço, imaginado em 2013, como "uma tentativa de resolver o conflito entre a ecologia e o ambiente criado pelo homem."

TENDÊNCIA 6: Torres Compostáveis

No início do ano passado o Museu de Arte Moderna e MoMA PS1 selecionou a "torre circular de tijolos orgânicos e reflexivos" projetada pelo The Living - chamada de "Hy-Fi" - como vencedora da 15 ª edição do Programa Jovens Arquitetos (YAP).

A estrutura temporária foi construída utilizando um novo método de bio-design incorporando um material totalmente orgânico.

De acordo com o site do MoMA, Hy-Fi vai é a primeira estrutura a ter emissões quase nulas de carbono em seu processo de construção.

TENDÊNCIA 7: Salas de Concerto Infláveis

Do lado de fora se assemelha a uma grande bolha roxa, no interior se parece mais com uma brilhante concha colorida. Trata-se da primeira sala de concertos inflável do mundo, intitulada "Arca Nova". O escultor britânico Anish Kapoor Iconic e o arquiteto japonês Arata Isozaki se uniram para criar a estrutura, destinada a percorrer as áreas do Japão afetadas pelo terremoto e tsunami de 2011.

"Estou honrado por ter sido convidado para projetar a Arca Nova para a área de Tohoku", afirma Kapoor no site da Arca Nova. "A estrutura define um espaço para a comunidade e para a música em que a cor e forma se unem. Espero que a destruição possa ser superada pela criatividade. A música pode consolar e unir as comunidades."

TENDÊNCIA 8: Arranha-céus de Madeira

Embora os arranha-céus de madeira podem não ser tão sensacionais como a torre giratória mencionada acima, a ideia de construir 24 andares em madeira é bastante surpreendente.

E isso pode se tornar realidade se as equipes do CF Møller e DinnellJohansson - vencedores do concurso de arquitetura HSB Estocolmo em 2013 - derem prosseguimento ao projeto do maior arranha-céu de madeira do mundo. O projeto (foto acima) é um dos três novos arranha-céus residenciais planejados para o centro da cidade de Estocolmo, porém, apenas uma das três propostas será construída.

Fonte: Arch Daily

Postagens Populares
Postagens Recentes